Assinatura da Ubisoft terá Call of Duty e mais jogos da Activision Blizzard

A aquisição da Activision Blizzard pela Microsoft acaba de receber um desdobramento surpreendente. A empresa que é dona de Call of Duty e Overwatch anunciou uma parceria com a Ubisoft, que adquiriu os direitos de distribuição dos games das franquias da marca via nuvem por meio da assinatura Ubisoft+.

Com esse acordo, os jogos da Activision Blizzard não serão exclusivos do Xbox Game Pass quando o assunto é cloud gaming. Assim, além de estarem disponíveis via xCloud, também será possível acessá-los assinando o serviço da Ubisoft, garantindo mais poder de escolha para o consumidor.

De acordo com a Ubisoft, a parceria garante para a empresa francesa o direito de fazer o streaming de todos os jogos do catálogo da Activision Blizzard já lançados. Além disso, estão inclusos na permuta os títulos que chegarem ao mercado durante os próximos 15 anos, após a aquisição da Microsoft ser concluída.

Ubi

A companhia por trás de Far Cry e Assassin’s Creed também contará com exclusividade no acordo e terá os direitos de transmissão das franquias “em perpetuidade”, podendo licenciá-los para outras empresas. Ou seja, a Ubisoft será a única além da Microsoft a poder distribuir títulos como Call of Duty via streaming, mas poderá liberar os títulos para mais marcas, caso deseje.

Por que o acordo foi realizado?

O objetivo do acordo entre Microsoft e Ubisoft é sanar as preocupações do órgão regulador CMA, do Reino Unido. Como a competitividade no mercado de jogos em nuvem era a principal preocupação do órgão, a dona do Xbox resolveu vender os direitos de distribuição dos jogos da Activision Blizzard para o cloud gaming.

A Microsoft informa que, com o novo acordo, a empresa não tem poder exclusivo sobre a distribuição dos jogos em nuvem, evitando exclusividade do cloud gaming no Xbox Game Pass. “Sob a transação reestruturada, a Microsoft não estará em posição de lançar os jogos da Activision Blizzard exclusivamente em seu próprio serviço de streaming em nuvem – Xbox Cloud Gaming – ou de controlar exclusivamente os termos de licenciamento dos jogos da Activision Blizzard para serviços rivais”, diz o comunicado, assinado pelo executivo Brad Smith.

É válido ressaltar que a parceria só será concretizada após a compra da Activision Blizzard for concluída pela Microsoft, algo que deve ocorrer até 18 de outubro. No lado da Ubisoft, a empresa realizará “um pagamento único” pela compra dos direitos de distribuição em perpetuidade dos jogos da Activision Blizzard via nuvem.

O que muda com o acordo?

Como a Ubisoft possui diversas parcerias, a tendência é que os jogos da Activision Blizzard apareçam em mais plataformas via nuvem. A assinatura Ubisoft Plus Multi Access, que receberá os games, está disponível no PC, Xbox e também no PlayStation, por meio do programa Ubisoft Plus Classics.

O acordo dará a chance, por exemplo, de jogos da franquia Call of Duty e outros títulos da Activision Blizzard chegarem aos consoles PlayStation via nuvem. Afinal, a PlayStation certamente não liberaria o Xbox Game Pass, o serviço de sua principal concorrente, em suas plataformas.

Para quem é usuário do Xbox Game Pass e das plataformas da Microsoft, a tendência é que o acordo com a Ubisoft não traga mudanças. Os títulos da Activision Blizzard ainda serão disponibilizados no catálogo do serviço e também via nuvem pelo xCloud.

CMA analisa a proposta

Mais detalhes sobre o assunto devem ser revelados em breve, bem como após a aquisição da Activision Blizzard pela Microsoft for concretizada. Em um comunicado, a CMA anunciou que proibiu a conclusão da compra globalmente e agora analisará os novos termos de acordo incluindo a Ubisoft.

De acordo com o órgão, a proposta de compra original foi recusada no Reino Unido e substituída pelo novo acordo com os direitos de jogos em nuvem da Activision Blizzard sob o comando da Ubisoft. “Avaliaremos cuidadosa e objetivamente os detalhes do acordo reestruturado e seu impacto na concorrência, inclusive à luz de comentários de terceiros”, disse o órgão.

Como o prazo final da aquisição é dia 18 de outubro, a tendência é que tenhamos uma resposta sobre o caso até lá. No entanto, a CMA acredita que uma resposta possa chegar antes da data limite.


Fonte Principal

Deixe seu comentário

1

Deixe seu comentário