11 Metroidvanias de Destaque Ranqueados pelo Metacritic

Houve um renascimento recente no gênero Metroidvania e existem vários títulos que se enquadram nessa modalidade.

Você já se aventurou em mundos cheios de mistérios e desafios, onde a exploração é a chave para o sucesso? Bem-vindo ao fascinante universo dos Metroidvanias! Esses jogos, inspirados em clássicos como Super Metroid (1994) e Castlevania: Symphony of the Night (1997), oferecem experiências únicas e empolgantes que cativam os jogadores há quase três décadas.

Mas espere, há mais! Nos últimos tempos, testemunhamos um verdadeiro renascimento desse gênero incrível. Uma infinidade de títulos emocionantes se encaixam nessa categoria, e estamos aqui para guiá-lo até o tesouro escondido entre eles. Com a ajuda do Metacritic e seu sistema de classificação consolidada, você poderá separar o joio do trigo e encontrar os melhores jogos de exploração estilo Metroidvania. Prepare-se para se perder em mundos cativantes e cheios de segredos!

 

Aviso Importante:

Por favor, esteja ciente de que as classificações mencionadas foram obtidas no Metacritic, um site dinâmico que atualiza continuamente suas avaliações. A nota dos jogos pode variar ao longo do tempo, e, portanto, a classificação presente neste momento pode estar diferente quando você acessar esta postagem no futuro. Mantenha isso em mente ao considerar as avaliações dos jogos mencionados.

11 – Blasphemous – Nota: 77

11 - Blasphemous - Nota: 77

11 – Blasphemous – Nota: 77

Blasphemous é um jogo que não apenas mergulha em visuais sangrentos, mas os utiliza de forma magistral para criar uma experiência única e envolvente. Este título, que mistura elementos de Dark Souls e Castlevania, coloca os jogadores na pele do penitente, que brande sua espada para abrir caminho por uma paisagem devastada, inspirada nas obras de arte religiosas renascentistas.

É a natureza intensa do combate, um verdadeiro hack-and-slash, que atrai muitos jogadores para Blasphemous. O protagonista blindado se destaca como um dos heróis mais agressivos do gênero Metroidvania nos últimos anos. Sua busca implacável para livrar a terra de monstros e demônios o colocaria lado a lado com Kratos em uma competição justa. Prepare-se para mergulhar em uma jornada sanguinolenta e desafiadora como nenhuma outra.

10 – Bloodstained: Ritual Of The Night – Nota: 83

10 - Bloodstained: Ritual Of The Night - Nota: 83

10 – Bloodstained: Ritual Of The Night – Nota: 83

Bloodstained: Ritual of the Night, concebido por ninguém menos que Koji Igarashi, é frequentemente aclamado como o verdadeiro sucessor espiritual de Castlevania: Symphony of the Night. Embora Miriam possa ser um personagem distante de Alucard, que empunha sua icônica espada, a sensação de exploração, o combate emocionante e a progressão da experiência são inegavelmente semelhantes.

Neste título profundo, você encontrará alquimistas e demônios em vez de vampiros e monstros, mas a sensação de familiaridade está presente. Simplificando, estamos diante de um autêntico Metroidvania, criado pelo próprio fundador do gênero. Ele enfrenta desafios semelhantes aos seus predecessores, mas incorpora mudanças suficientes na fórmula para se destacar e se tornar uma experiência única no vasto oceano de jogos.

09 – Iconoclasts – Nota: 83

09 - Iconoclasts - Nota: 83

09 – Iconoclasts – Nota: 83

Iconoclasts é um jogo que surpreende pela sua profundidade e complexidade, escondida por trás de uma fachada enganosamente atraente. À primeira vista, parece ser um Metroidvania steampunk que se concentra na exploração e resolução de quebra-cabeças, o que por si só já é empolgante. No entanto, o que realmente cativa os jogadores é a narrativa de ficção científica que permeia todo o jogo.

Por trás das cores ricas e dos cenários vibrantes, Iconoclasts apresenta uma saga envolvente envolvendo refugiados, piratas e cultos religiosos que lutam pelo domínio da sociedade, tudo em um mundo repleto de excentricidades. Embora a maioria dos Metroidvanias ofereça profundidade e complexidade, este título se destaca ao mergulhar ainda mais fundo em seus personagens e na trama, tornando a experiência verdadeiramente memorável.”

08 – Axiom Verge – Nota: 84

08 - Axiom Verge - Nota: 84

08 – Axiom Verge – Nota: 84

Se há um jogo que pode ser considerado o verdadeiro herdeiro espiritual do Metroid original, esse jogo é Axiom Verge. Inspirado pelo clássico do NES, este jogo transporta os jogadores para uma dimensão alienígena gigantesca, repleta de visuais distorcidos e inimigos aterrorizantes. Aqui, você precisará de mais do que apenas um blaster para sobreviver a esse pesadelo de ficção científica.

Axiom Verge é um título que demonstra um profundo respeito por sua fonte de inspiração, e isso se reflete em sua apresentação, jogabilidade e design. Embora possa faltar alguns dos confortos encontrados em outros jogos do gênero, aqueles que cresceram explorando labirintos alienígenas serão facilmente envolvidos por essa experiência.

 

07 – The Messenger – Nota: 86

07 - The Messenger - Nota: 86

07 – The Messenger – Nota: 86

Embora The Messenger exija muito mais do que a série Ninja Gaiden, ele vai além de ser apenas um Metroidvania; é uma homenagem meticulosamente construída aos clássicos da era Nintendo. Como é de se esperar de qualquer Metroidvania, a progressão é guiada pela coleta de diversas armas e atualizações, e, muitas vezes, a jornada de A a B requer o uso do equipamento certo para superar os desafios do nível.

Entretanto, o verdadeiro teste das habilidades de ninja do jogador surge nas seções de plataforma. Os elementos de plataforma tradicionais aqui são extremamente desafiadores, e um passo em falso pode resultar na derrota do Mensageiro. E a diversão não para por aí; o jogo também surpreende os jogadores ao alternar entre estilos de 8 bits e 16 bits em partes posteriores da aventura, adicionando um toque extra de nostalgia e complexidade à experiência.

06 – Guacamelee!: Super Turbo Championship Edition – Nota: 87

06 - Guacamelee!: Super Turbo Championship Edition - Nota: 87

06 – Guacamelee!: Super Turbo Championship Edition – Nota: 87

Guacamelee! é uma verdadeira celebração dos clássicos Metroidvanias dos anos 90, especialmente Super Metroid. No entanto, ele vai além ao misturar uma dose eclética e excêntrica de estranheza selvagem com um toque picante da cultura mexicana. Afinal, quantos Metroidvanias oferecem uma mistura de cabras e luchadores falantes?

Essa combinação única de elementos é o que torna o jogo tão cativante e divertido. Os aspectos típicos dos Metroidvanias são bem executados, mas são as imagens excêntricas e o senso de humor vibrante que realmente roubam a cena. À medida que Juan deixa sua fazenda de agave para se transformar em um poderoso lutador mascarado, os jogadores embarcam em uma aventura colorida e cômica na terra dos mortos, repleta de surpresas e risadas.

05 – Metroid Dread – Nota: 88

05 - Metroid Dread - Nota: 88

05 – Metroid Dread – Nota: 88

Nenhuma coleção de Metroidvanias estaria completa sem ao menos um título da série Metroid. Metroid Dread é a prova viva de que Samus Aran ainda é mestra em proporcionar aos fãs uma experiência de jogo clássica. Inspirando-se fortemente em seus dias de glória no Game Boy e no SNES, o jogo ressuscita a série e leva a caçadora de recompensas da Nintendo de volta às suas raízes.

Além de ser um retorno emocionante para a personagem, o jogo também oferece um desafio formidável para aqueles que já enfrentaram outras joias do gênero. Não é à toa que a palavra ‘Dread’ (pavor) está no título. Prepare-se para uma jornada cheia de suspense e adrenalina enquanto Samus Aran enfrenta ameaças inimagináveis em seu retorno triunfante.

04 – Hollow Knight – Nota: 89

04 - Hollow Knight - Nota: 89

04 – Hollow Knight – Nota: 89

O pequeno, porém corajoso herói mascarado de Hollow Knight é, sem dúvida, um dos ícones modernos do gênero Metroidvania. Como tantos outros títulos desse gênero, a magia acontece devido à mistura cuidadosa de diversos elementos, resultando em uma experiência verdadeiramente espetacular. O mundo de Hollownest é tão estranho e alienígena quanto qualquer planeta distante, mas também carrega uma aura sombria e peculiar, digna de um filme de Tim Burton.

Algumas pessoas o rotulam como um ‘Souls-like’, mas aqueles que se aventuraram pelos intrincados caminhos e recantos do jogo sabem que ele bebe muito mais da fonte dos jogos como Castlevania do que qualquer outra coisa. Sua combinação de elementos peculiares e imaginativos, juntamente com um vasto mundo a ser explorado, torna irresistível para qualquer fã do gênero se perder nessa aventura fascinante.

03 – Cave Story – Nota: 89

03 - Cave Story - Nota: 89

03 – Cave Story – Nota: 89

Se alguém quisesse traçar as origens do renascimento do gênero Metroidvania, com certeza começaria com o icônico Cave Story original. Este jogo combina elementos de Mega Man, Metroid e até Undertale para criar um mundo e uma narrativa incrivelmente complexos. Com múltiplos caminhos, finais variados e uma trama surpreendentemente sombria, Cave Story se destaca como uma obra-prima.

Os gráficos podem ser simplistas, mas são distintos, e a história mescla ficção científica, fantasia e um toque de horror cósmico, com personagens que têm um toque de desenho animado, criando uma identidade verdadeiramente eclética. Para quem busca uma experiência essencial no gênero, não há problema algum em começar por aqui. Cave Story é uma verdadeira joia para os amantes de Metroidvania.

02 – Castlevania: Symphony of the Night – Nota: 89

02 - Castlevania: Symphony of the Night - Nota: 89

02 – Castlevania: Symphony of the Night – Nota: 89

Castlevania: Symphony of the Night é um jogo de ação-aventura 2D que foi desenvolvido e lançado pela Konami em 1997. Este título marca o 13º capítulo da série Castlevania e foi o primeiro a ser lançado para o console PlayStation, além de ser a sequência cronológica de Castlevania: Rondo of Blood.

Symphony of the Night desempenhou um papel crucial na evolução da série Castlevania, recebendo amplo reconhecimento da crítica e posteriormente sendo incluído em várias listas de melhores jogos de todos os tempos em diversas publicações. O jogo trouxe uma mudança significativa em relação aos títulos anteriores da série, que eram caracterizados por uma jogabilidade de plataforma ‘estágio por estágio’. Em vez disso, Symphony of the Night introduziu um novo estilo de jogabilidade com elementos de RPG, um conceito que seria adotado por muitos de seus sucessores.

O mérito por essas mudanças inovadoras é frequentemente atribuído ao diretor do jogo, Koji Igarashi, que também desempenhou um papel importante na integração do jogo à narrativa mais ampla da série, tentando unir diferentes fios da história na cronologia da série. Outros membros talentosos da equipe de desenvolvimento incluem a designer de personagens Ayami Kojima e a compositora Michiru Yamane.

01 – Dead Cells – Nota: 92

01 - Dead Cells - Nota: 92

01 – Dead Cells – Nota: 92

Dead Cells é uma obra-prima de fusão de gêneros que vai além do que normalmente se espera de um Metroidvania. Este roguelike estiloso e implacável oferece todos os elementos de um Metroidvania tradicional, mas com um toque único que transforma a morte em uma parte fundamental da experiência.

No mundo de Dead Cells, heróis sem cabeça e experimentos alquímicos são comuns, e a jogabilidade é muito mais complexa do que simplesmente correr e atirar, como os jogadores imprudentes logo descobrirão. É uma mistura magistral de elementos clássicos e modernos que certamente cativará os fãs do gênero, oferecendo uma experiência desafiadora e única.

Fonte: Metacritic

Deixe seu comentário