Disney Falindo? Qual O Preço de Tentar Impor Causas Esquerdistas?

A Walt Disney Company, conhecida por seu impacto histórico e sucesso duradouro no mundo do entretenimento, enfrenta agora uma era de desafios significativos. A empresa, que já cativou audiências globais com clássicos como “A Bela e a Fera” e “A Pequena Sereia”, esperava que seu mais novo filme animado, “Wish“, marcasse o apogeu de seu centenário cultural. No entanto, “Wish” acabou simbolizando uma série de decepções nas bilheterias para a Disney.

Historicamente, a Disney tem sido bem-sucedida durante o feriado de Ação de Graças nos Estados Unidos. Exemplos notáveis incluem “Frozen”, lançado em 22 de novembro de 2013, que arrecadou $67 milhões em seu fim de semana de estreia e acumulou mais de $1,2 bilhão globalmente, e sua sequência “Frozen II”, que alcançou $130 milhões no lançamento e $1,4 bilhão no total. Em contraste, “Wish” teve uma performance aquém do esperado, gerando apenas $31,6 milhões contra uma projeção de $45-$50 milhões.

Outros lançamentos da Disney em 2023, como “Elemental” da Pixar e vários filmes de ação ao vivo, como “Ant-Man and The Wasp: Quantumania” e “Indiana Jones and the Dial of Destiny”, também enfrentaram dificuldades semelhantes nas bilheterias. Estes resultados refletem uma mudança notável em comparação com os lançamentos anteriores da empresa e indicam uma possível reavaliação da estratégia de conteúdo da Disney.

Um dos principais fatores contribuintes para a recente onda de fracassos comerciais da Disney é sua adoção explícita de causas sociais de esquerda, particularmente a ideologia LGBT.

A Disney foi reconhecida pela GLAAD, a Aliança Gay e Lésbica Contra a Difamação, como uma das principais empresas de Hollywood em conteúdo inclusivo LGBT. No entanto, essa abordagem gerou reações significativas, especialmente de audiências conservadoras. Uma pesquisa da Rasmussen Reports revelou que 60% dos republicanos têm uma visão desfavorável da Disney.

Essa tendência de incluir temas progressistas se refletiu em vários filmes. Por exemplo, em “Ant-Man and The Wasp: Quantumania”, a filha do Homem-Formiga se tornou uma ativista adolescente, e o filme “Lightyear” incluiu um beijo entre dois personagens femininos. “Strange World” introduziu o primeiro personagem gay canônico da Disney, com um enredo central em torno de seu romance com outro menino. Além disso, a reimagineação de filmes clássicos como “Branca de Neve”, que está sendo refeita com uma abordagem mais moderna e progressista, também gerou controvérsia.

Enquanto isso, os principais concorrentes da Disney, como a Sony Pictures Animation e a DreamWorks, conseguiram grandes sucessos com filmes como “Spider-Man: Across the Spider-Verse” e “Puss in Boots: The Last Wish”, sem se envolverem em temas politizados. Esses sucessos indicam que ainda há uma forte demanda por conteúdo animado voltado para crianças que não se concentra em causas sociais de esquerda.

Em resposta a esses desafios, o CEO da Disney, Bob Iger, reconheceu a necessidade de priorizar o entretenimento em vez de mensagens, refletindo sobre a direção futura da empresa. A Disney agora enfrenta o desafio de equilibrar suas iniciativas progressistas com as demandas de uma base de audiência diversificada, em um esforço para recuperar sua posição preeminente no mundo da animação e evitar mais prejuízos financeiros significativos.

Impacto das Causas Sociais Esquerdistas

A Disney tem incorporado ativamente ideologias de esquerda, especialmente relacionadas à comunidade LGBT, em seus filmes e programas. Isso posicionou a empresa como líder no setor de entretenimento em conteúdo inclusivo. No entanto, essa abordagem gerou reações mistas. Enquanto algumas organizações elogiam a inclusão, uma pesquisa da Rasmussen Reports revela que 60% dos republicanos têm uma visão desfavorável da Disney, com 35% expressando uma opinião “muito desfavorável”.

Reação a Filmes Específicos

Além de “Wish”, outros filmes da Disney como “Ant-Man and The Wasp: Quantumania” e “Indiana Jones and the Dial of Destiny” também receberam críticas por tentarem substituir seus heróis titulares por contrapartes femininas mais jovens. Animações como “Lightyear” e “Strange World” foram criticadas por conservadores por promoverem temas LGBT. “Lightyear” incluiu um beijo entre duas personagens femininas, e “Strange World” introduziu o primeiro personagem principal gay canônico da Disney, com uma história de amor entre dois garotos.

Contraste com a Concorrência

Enquanto a Disney enfrenta esses desafios, seus concorrentes, como Sony Pictures Animation e DreamWorks, têm prosperado, focando em conteúdo que evita a politização. Filmes como “Spider-Man: Across the Spider-Verse”, “Puss in Boots: The Last Wish”, e “The Super Mario Bros. Movie” alcançaram sucesso significativo nas bilheterias, sugerindo que ainda existe uma demanda robusta por conteúdo animado infantil que não se envolve em causas sociais de esquerda.

Reflexões da Liderança da Disney

O CEO da Disney, Bob Iger, reconheceu a necessidade de a empresa focar primeiro em entreter, ao invés de transmitir mensagens. A declaração de Iger sugere uma possível mudança na direção criativa da Disney, buscando recuperar sua posição preeminente no mundo da animação e evitar perdas financeiras significativas devido a sucessivos fracassos comerciais.

Considerações Finais

O caso da Disney ilustra um dilema enfrentado por muitas empresas de entretenimento na era moderna: equilibrar a inclusão de causas sociais com as expectativas e preferências de um público diversificado. Enquanto a inclusão e representatividade são importantes, a resposta do público indica que a abordagem da Disney pode ter sido excessiva ou mal orientada para seu público-alvo tradicional. O sucesso contínuo de seus concorrentes, que evitam conteúdo fortemente politizado, serve como um lembrete de que o entretenimento infantil pode prosperar sem se envolver profundamente em questões sociais contemporâneas.

Em suma, a trajetória recente da Disney ressalta a complexidade de navegar no cenário cultural atual, onde as preferências do público podem ser tão variadas quanto os temas representados nas telas. A decisão da Disney de se adaptar a essas realidades e ajustar sua abordagem criativa será crucial para seu sucesso futuro.

 

 

Fonte: Dailywire

 

Deixe seu comentário