Células da Pele de Sapo se Transformaram em ‘Máquinas Vivas’ conheça os Os xenobots

0
Células da Pele de Sapo se Transformaram em 'Máquinas Vivas' conheça os Os xenobots
Células da Pele de Sapo se Transformaram em 'Máquinas Vivas' conheça os Os xenobots
- Advertisement -

Usando bolhas de células da pele de embriões de rã, os cientistas desenvolveram criaturas diferentes de qualquer outra coisa na Terra, relata um novo estudo. Essas microscópicas ‘máquinas vivas’ podem nadar, varrer detritos e se curar após um corte.

Artigo publicado no sciencenews, escrito por Laura Sanders.

Os cientistas muitas vezes se esforçam para entender o mundo como ele existe, diz Jacob Foster, um pesquisador de inteligência coletiva da UCLA que não está envolvido nesta pesquisa. Mas o novo estudo, publicado em 31 de março na Science Robotics, é parte de um “momento libertador na história da ciência”, diz Foster. “Uma reorientação para o que é possível.”

De certa forma, os bots foram criados por eles mesmos. Os cientistas removeram pequenos grupos de células-tronco da pele de embriões de rã, para ver o que essas células fariam por conta própria. Separadas de seus locais habituais em um embrião de sapo em crescimento, as células se organizaram em bolas e cresceram. Cerca de três dias depois, os aglomerados, chamados de xenobots, começaram a nadar.

Normalmente, estruturas semelhantes a cabelos chamados cílios na pele da rã repelem patógenos e espalham muco ao redor. Mas nos xenobots, os cílios permitiam que eles circulassem. Esse desenvolvimento surpreendente “é um grande exemplo de vida reutilizando o que está à mão”, diz o co-autor do estudo Michael Levin, biólogo da Tufts University em Medford, Massachusetts.

Um enxame de xenobots (pontos brilhantes) nada e empurra pequenas partículas. DOUGLAS BLACKISTON
Um enxame de xenobots (pontos brilhantes) nada e empurra pequenas partículas. DOUGLAS BLACKISTON

E esse processo acontece rápido. “Isso não é algum tipo de efeito no qual a evolução encontrou um novo uso ao longo de centenas de milhares de anos”, diz Levin. “Isso acontece na frente de seus olhos em dois ou três dias.”

Os xenobots não têm células nervosas nem cérebros. Ainda assim, os xenobots – cada um com cerca de meio milímetro de largura – podem nadar por tubos muito finos e atravessar labirintos curvos. Quando colocados em uma arena repleta de pequenas partículas de óxido de ferro, os xenobots podem varrer os detritos em pilhas. Os Xenobots podem até mesmo se curar; depois de serem cortados, os bots se fecham de volta às suas formas esféricas.

Os cientistas ainda estão elaborando os fundamentos da vida dos xenobôs. As criaturas podem viver cerca de 10 dias sem comida. Quando alimentados com açúcar, os xenobots podem viver mais (embora não continuem crescendo). “Nós os cultivamos por mais de quatro meses no laboratório”, diz o co-autor do estudo Doug Blackiston, também da Tufts. “Eles fazem coisas realmente interessantes se você os cultivar”, incluindo a formação de estranhas formas semelhantes a balões.

Este xenobô tem cerca de 500 micrômetros de diâmetro e é feito de células de sapo, embora não se pareça nem aja em nada com um sapo real. DOUGLAS BLACKISTON
Este xenobô tem cerca de 500 micrômetros de diâmetro e é feito de células de sapo, embora não se pareça nem aja em nada com um sapo real. DOUGLAS BLACKISTON

Ainda não está claro que tipo de trabalho esses xenobots podem fazer, se houver. Limpar cursos de água, artérias ou outros pequenos espaços vem à mente, dizem os pesquisadores. De forma mais ampla, esses organismos podem conter lições sobre como os corpos são construídos, diz Levin.

Com o advento de novos organismos, vêm as questões éticas, adverte Kobi Leins, pesquisador de ética digital da Universidade de Melbourne, na Austrália. “Os cientistas gostam de fazer coisas e não pensam necessariamente nas repercussões”, diz ela. Mais conversas sobre consequências indesejadas são necessárias, diz ela.

Levin concorda. Os pequenos xenobots são fascinantes em seus próprios direitos, diz ele, mas eles levantam questões maiores e possibilidades maiores. “É encontrar uma galáxia inteira de coisas novas estranhas.”

Veja “xenobots” em ação.

Fonte Principal

0 0 votos
Gostou do Post?
- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários