The Mandalorian: analisamos até o capítulo 3 desta primeira temporada.

3
star-wars-o-que-voce-sabe-sobre-os-mandaloriano-disney
star-wars-o-que-voce-sabe-sobre-os-mandaloriano-disney

The Mandalorian capta espírito de Star Wars e impressiona. A série terá uma análise a cada capítulo lançado aqui no hater a partir de agora.

O Seriado baseado na franquia espacial estreou no Disney+

MUITOS SPOILES PARA QUEM NÃO VIU. FIQUE AVISADO!

Star Wars inaugurou a era dos blockbusters incríveis e épicos no cinema, com suas continuações pós trilogia original deixando a desejar e a atual trilogia, já nas mãos da Disney, simplesmente rachando sua fã base entre quem gostou e detestou. Mas isso mudou com The Mandalorian. A série de TV captura a essência da saga criada por George Lucas, seu espírito de aventura, seu mundo fantástico, suas lendas, o estilo western e temas em um programa de TV focado na história de um personagem, sem tratar sobre a salvação da Galáxia. É isso que as pessoas que conheciam as histórias além da tela do cinema sempre quiseram ver em uma série derivada.

Os primeiros episódios constroem um mundo onde o personagem está inserido ao mostrar o submundo dos caçadores de recompensa cinco anos após a queda do império. O visual já impressiona com paisagens desoladas de um planeta distante repleto de tipos estranhos, uma cantina e locais secretos. A série lembra muito o filme original de 77 exatamente por esses elementos e fica claro desde o início a atenção aos detalhes com cenários, criaturas, figurinos e temas do enredo.

A atmosfera típica de Star Wars cativa os fãs da franquia, enquanto o restante do público é conquistado pelo protagonista vivido por Pedro Pascal, com seu jeitão badass e também com seu senso de humor na medida certa. Ele também constroi um personagem com poucas falas. acho interessante pois muitas ações são explicadas apenas pelo contexto. Desta forma a série não subestima a inteligência do telespectador com explicações demais do que está acontecendo.

O mais impressionante é que é fácil gostar de Mando (nome pelo qual conhecemos o personagem até então) mesmo sem nunca ver seu rosto, protegido pelo típico capacete dos Mandalorians, povo natural do planeta Mandalore, um local onde armas fazem parte da religião e o estilo de vida bélico resulta em guerras contínuas graças a sua sociedade dividida em Clãs rivais.(eu fiz uma pequena pesquisa sobre o tema para colocar este resumo aqui para vocês). Também apesar de ser um guerreiro forte, ele tem suas fraquezas, sendo assim, não invencível. Claro ponto positivo tratado na série.

The Mandalorian: analisamos até o capítulo 3 desta primeira temporada. 1
badass o cara

O primeiro capítulo é um faroeste espacial focado num pistoleiro solitário com total objetivo em sua missão aceita por dinheiro. Vemos cenas típicas de faroeste/Star was original quando ele entre em uma taverna e sujeitos malvados cobiçam seu precioso aço Beskar. Metal super-resistente que faz parte da armadura dos mandalorianos. Vemos que o do protagonista está desgastado e claro, será objeto do roteiro para próximos episódios.

The Mandalorian: analisamos até o capítulo 3 desta primeira temporada. 2
alguém reconhece um western ai?

Por isto ele parte para o planeta Tatoine, aṕos receber a tarefa de Greef Carga (Carl Weathers o eterno Apollo Creed) onde ele recebe ajuda de um alienígena ermitão chamado Kuiil. Ele oferece ajuda e em troca pede somente que o mandaloriano expurgue os invasores que estão o atormentando. O nosso herói, claro, aceita já que sua missão é exatamente entrar na base dos invasores. E é ótimo ver como a trama se desenvolve daí, embora dê poucas informações até então. Aliás, as cenas de ação são muito bem-feitas, com grandes lutas e momentos bem divertidos. Sem falar que os últimos 10 minutos do final são surpreendentes e apresentam um personagem simplesmente encantador. Um “ser” da mesma raça do Mestre Yoda. Com “apenas” 50 anos. Como ele ainda não tem nome, a internet o está chamando carinhosamente de “babê Yoda”.

The Mandalorian: analisamos até o capítulo 3 desta primeira temporada. 3
comprar bonecos você deve

O segundo capítulo trouxe à minha mente, algo que faz absolutamente todo sentido considerando que, além do faroeste, outras grandes inspirações de George Lucas para criar seu universo foram os samurais e ronins. Imaginar o silencioso mandaloriano tendo aventuras ao lado de uma criança em um carrinho flutuante foi automático e ver isso se materializar no segundo capítulo, que ganhou o singelo título The Child, foi, sem dúvida, muito divertido. Vemos o protagonista caminhando de volta para sua nave e sendo emboscado por trandoshanos (a mesma raça de Bossk, o caçador de recompensa reptiliano que vemos rapidamente na ponte do Destroyer de Darth Vader, em O Império Contra-Ataca) que, assim como IG-11, estão atrás do bebê. Despachados rapidamente, outro obstáculo tem que ser enfrentado: a bela (mas não tanto quanto a Slave I, claro) nave prateada do mandaloriano foi quase que desmontada por irritantes Jawas que conseguem fugir depois de uma ótima sequência de ação que me lembrou Indianas Jones no tanque de guerra em Última Cruzada. O mandaloriano não consegue recuperar os pedaços da sua nave, mas desintegra alguns Jawas (outra referência aos filmes clássicos. veja aqui).

Isso força uma nova reunião de “Mando” com Kuiil, aparentemente o alienígena mais solícito da galáxia, e uma aventura enlameada para recuperar um ovo cobiçado pelos Jawas e que revela que a criancinha já é extremamente poderosa no uso da Força, em mais uma surpresa interessante, mas não exatamente inesperada. A grande vantagem da simplicidade extrema do episódio, devo confessar, é que isso abriu espaço para a apreciação da cada vez melhor trilha sonora composta por Ludwig Göransson. É um trabalho muito diferente da grandiosidade do que John Williams compôs para a franquia, mas ele traz uma diversidade sonora para esse universo que eu não tinha ideia. Será que esse é o nascimento de mais um clássico musical de Star Wars?

The Mandalorian: analisamos até o capítulo 3 desta primeira temporada. 4
dupla foda?

O Terceiro capítulo, The Sin”, mostra a versão mandalorina do Bushido, o caminho do guerreiro e código de honra dos samurais, reforçando o paralelo clássico do Universo Star Wars com os guerreiros do Japão feudal, conforme descobrimos, vivem semi-escondidos em um quartel-general temporário depois do expurgo de Mandalore pelo Império.

Em um retorno ao cenário do primeiro capítulo, Mando entrega “a criança” para o misterioso personagem vivido por Werner Herzog e recebe aço Beskar suficiente para fazer uma nova e brilhante armadura em mais um upgrade que lembra a progressão de videogame (up de level), e o ganho do respeito de seus colegas mandalorianos e de Greef Carga e, claro, a inveja dos demais caçadores de recompensa. Mas, como não poderia ser surpresa para ninguém, já que a temporada segue um padrão narrativo de filmes de anti-heróis que reveem sua postura durona e inacessível, demonstrando o bom coração que na verdade têm, o protagonista volta atrás e decide salvar o bebê Yoda.

The Mandalorian: analisamos até o capítulo 3 desta primeira temporada. 5
power up

The Sin reúne as doses exatas de desenvolvimento de personagem e de mitologia com sequências de ação de se tirar o capacete que, claro, exagera aqui e ali no uso de clichês, mas sem jamais recorrer a artifícios baratos ou recursos que mexeriam com o que foi estabelecido, como humanizar demais o protagonista (mostrando o rosto ou revelando seu nome, por exemplo). Jon Favreau definitivamente estabelece seu The Mandalorian como o futuro da exploração audiovisual da saga e expande a temporada sem nem mesmo introduzir diversos personagens prometidos desde o início que só tendem a aprofundar a narrativa. Sem dúvida, é esse o caminho.

The Mandalorian tem muito potencial como primeiro passo nesse caminho de mostrar um Star Wars mais “Raiz” como jornada. E pelo que vimos até agora, será uma jornada fantástica.

The Mandalorian: analisamos até o capítulo 3 desta primeira temporada. 6

 

 

0 0 voto
Gostou do Post?
Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
João Fagner Fonseca de Oliveira

Agora estou motivado a ver essa série, quero ver se ela é raiz mesmo

K-basso

Caras, fantastica essa serie, muito empolgado com os proximos episodios e as proximas Kenobi, tamor que continue na mesma pegada. Bacana demais as referecias com os primeiros filmes. Disney está acertando com essa produção.