O DCU é grande o suficiente para dois Robins?

Apesar do que a Internet possa estar dizendo, tanto The Batman Part II quanto Os Bravos e os Ousados podem apresentar suas próprias versões de Robin.

O DCU é grande o suficiente para dois Robins? Muitos fãs presumem que The Batman Part II não terá uma versão de Robin porque Os Bravos e os Ousados confirmou que usará sua própria versão do Boy Wonder em Damian Wayne. De certa forma, parece que ter dois Robins na tela grande seria excessivo. No entanto, esse mesmo argumento pode ser usado para o Batman.

Robin tem sido subutilizado como personagem em adaptações live-action desde sua última atuação em um filme em 1997. Portanto, ter dois Robins em filmes separados não seria um passo em falso. Na verdade, abriria muitas oportunidades para mostrar como o relacionamento do Batman com seu companheiro afeta seu personagem como um todo.

Como o Robin da DCU está relacionado ao Batman através do sangue, a história provavelmente seria mais sobre o Cavaleiro das Trevas trazendo um filho para o jogo de combate ao crime sem muita escolha. Robin de Matt Reeves poderia explorar uma dinâmica completamente diferente, com o Batman de Robert Pattinson optando por trazer outra pessoa para sua cruzada. De qualquer forma, fechar a oportunidade de usar um Robin em The Batman Part II seria um erro.

Por muitos anos, os três principais Robins consistiram em Dick Grayson, Jason Todd e Tim Drake. Grayson é sem dúvida o mais popular do grupo e é o que mais se parece com o Batman quando se trata de combater o crime. A certa altura, ele até assumiu o manto do Cavaleiro das Trevas. Como o Batman de Pattinson ainda é mais jovem, e assumindo que The Batman Part II comece logo após o primeiro filme, seria inteligente incluir Grayson porque esse foi o primeiro filho de quem Bruce cuidou.

Ele até trouxe à tona o lado mais suave de Bruce, eles é claro, se enfrentaram nos quadrinhos e se separaram em diversas ocasiões. Seguir esse caminho exibiria outra camada de conflito dentro de Bruce. Jason Todd também seria uma escolha interessante devido ao complicado resultado de sua morte.

Sua versão de Robin poderia ser apresentada na Parte II, e considerando que o Coringa apareceu no primeiro filme de Reeves, poderia estabelecer a possibilidade da morte de Todd. Batman lamentou muito a morte de Todd, e quando ele volta como o Capuz Vermelho, isso apresenta muitos desafios. Adaptar essa história combinaria com o tom sombrio de The Batman.

Tim Drake, o terceiro Robin, também seria uma escolha interessante, pois se inclina para um lado único do Batman. Drake abraça seu lado detetive, semelhante a Bruce em The Batman. Drake também se apoia na inteligência e na inteligência do Batman e, portanto, seria uma escolha que vale a pena. Quaisquer três desses Robins seriam escolhas estelares, pois todos têm semelhanças com o Cavaleiro das Trevas.

Se a DC quiser evitar que dois Robins masculinos compartilhem a tela, talvez ter Stephanie Brown ou Carrie Kelly como o próximo Robin ajudaria a mudar as coisas. Brown teve um relacionamento complicado com Batman. Aposentando sua personalidade Spoiler, ela se tornou a primeira garota Robin.

Infelizmente, aquela porta se fechou quando ela não seguiu a ordem do Batman. Enquanto isso, a origem de Carrie Kelley veio na história em quadrinhos The Dark Knight Returns, onde Bruce aparece mais cansado do que nunca. Considerando o quão taciturno o Batman de Reeves já é, ter Kelley fazendo uma grande aparição na sequência animaria o filme.

Seria inteligente para o Batman de Reeves escolher uma Robin feminina para se diferenciar da versão de Damian Wayne em Os Bravos e os Ousados e entregar algo inesperado. Reeves tornou o super vilão bobo O Charada demente, fundamentado e feito para ser levado a sério. Ele poderia, sem dúvida, fazer isso de novo com uma versão esquecida de Robin.

A ideia de incluir companheiros em filmes de super-heróis tem sido desaprovada. Os programas de TV são o oposto, estreando jovens heróis populares como Wally West em The Flash ou qualquer um dos parceiros do Arqueiro Verde em Arrow. É verdade que alguns companheiros enfraqueceram as histórias de algumas maneiras, mas ainda há evidências de que os companheiros podem ser tão divertidos quanto seus heróis. Robin era o companheiro do OG, tanto que se tornou mais do que um companheiro, tornando-se o primeiro adolescente combatente do crime a romper com seu mentor para se tornar seu próprio herói.

Robin sempre foi um personagem popular na DC Comics. É por isso que em quase todos os quadrinhos do Batman há uma versão do personagem ao lado do Cavaleiro das Trevas. Ele é crucial para o desenvolvimento do personagem de Bruce, à medida que os leitores veem um lado mais humano de seu herói favorito. Robin só ajudaria o Batman de Reeves, então se o personagem aparecer em seus filmes, eles deveriam ser abraçados, não ridicularizados.

 

Fonte: CBR

Deixe seu comentário

2
  • Avatar de Helinux Helinux disse:

    Na minha singela opinião…prefiro o Batman solo mesmo, nada contra!!!! Assim como na liga da justiça que sempre tem alguém lá que vai dizer que o Batman não tem poderes!!!! Batman sozinho é o bicho e mais sinistro, é o heróis mais próximo da realidade em que vivemos, penso…valeu!!!!

Deixe seu comentário