Microsoft diz que 10 anos é tempo suficiente para a Sony fazer seu próprio Call of Duty

À medida que os reguladores se aproximam do prazo para aprovar ou rejeitar a aquisição da Activision Blizzard pela Microsoft por US$ 69 bilhões de dólares, aqueles a favor e contra a mega fusão estão apresentando todos os argumentos que podem pensar para tentar influenciar o resultado. Meu favorito ainda envolve a Microsoft dizendo à Sony para parar de reclamar e começar a fazer seu próprio concorrente de Call of Duty.

Ok, isso não é exatamente o que a Microsoft disse, mas certamente foi o espírito de um pequeno trecho do último testemunho da empresa que a Autoridade de Concorrência e Mercados (CMA) do Reino Unido tornou público na terça-feira. Conforme observado pelo VGC , a Microsoft argumentou em uma resposta suplementar que sua proposta de 10 anos para manter Call of Duty disponível no PlayStation 5 e futuros consoles da Sony é bastante tempo e não deixaria o fabricante de hardware em uma “beira do precipício” uma vez que expira. Por que não? Porque a Sony pode usar esse tempo para fazer sua própria versão do jogo de tiro militar mais vendido.

Aqui está o que escreveu:

A Microsoft considera que um período de 10 anos é suficiente para a Sony, como editora líder e plataforma de console, desenvolver alternativas ao CoD . […] O prazo de 10 anos se estenderá até a próxima geração de console. […] Além disso, o efeito prático do remédio vai além do período de 10 anos, já que os jogos baixados no último ano do remédio podem continuar a ser jogados por toda a vida útil daquele console (e além, com compatibilidade com versões anteriores).

Eu adoraria ver a resposta da Sony a essa linha de raciocínio. “Não, na verdade não podemos”, pode dizer o CEO da Sony Interactive Entertainment, Jim Ryan. “Já tentamos isso e se chamava Killzone . RASGAR.” Ele também pode acrescentar que um jogo como Modern Warfare II não aconteceu da noite para o dia, mas foi construído sobre o sucesso de uma série que cresceu e evoluiu ao longo de 20 anos.

“Não somos bons o suficiente” foi realmentelinha da Microsoftao longo desses procedimentos confusos, no entanto. Um de seus principais argumentos baseia-se na ideia de que, depois de ser derrotado pela Sony e pelo PS4 por anos, uma aquisição massiva é na verdade uma das únicas maneiras de atrapalhar o mercado e criar mais concorrência. A implicação foi efetivamente que a Microsoft não pode fazer sucessos por conta própria, então ela precisa comprá-los.

Coincidentemente, já se passaram quase exatamente 10 anos desde que o último Killzone foi lançado. Desde então, a Sony viu seus estúdios primários girarem para exclusividades de venda de consoles de enorme sucesso, como Horizon Zero Dawn , God of War . Fantasma de Tsushima . Quem sabe o que os próximos 10 anos trarão? Embora seja justo, a Sony não tem vergonha de complementar seu próprio banco com aquisições. Talvez Bungie pode fazer o próximo assassino de Call of Duty. Você não ama o capitalismo?

Fonte: finance.yahoo

Deixe seu comentário