Escritor de quadrinhos censurado por editoras ‘Wokes’ e Big Techs

O quadrinho pró-polícia de Mike Baron, 'Thin Blue Line', foi rejeitado pelas principais editoras e censurado online

0
Escritor de quadrinhos censurado por editoras 'Wokes' e Big Techs
Escritor de quadrinhos censurado por editoras 'Wokes' e Big Techs
- Advertisement -

O escritor americano de quadrinhos Mike Baron criticou as editoras “Wokes” e as grandes empresas de tecnologia em uma entrevista à RT depois que eles se recusaram a lançar seu novo quadrinho pró-aplicação da lei, ‘Thin Blue Line’.

Baron alegou anteriormente que ele havia sido repetidamente proibido pelo Facebook de postar anúncios para o livro, enquanto o subfórum r/comics do Reddit proibiu um link para uma entrevista com Baron, alegando que a discussão do quadrinho quebrou as políticas de “desinformação e racismo”.

O Facebook disse ao escritor que ele teve que passar por um processo de autorização para postar sobre “questões sociais”. Embora o premiado autor de ‘The Punisher’ tenha seguido o procedimento, ele disse à RT que ainda precisa ver se recebe a luz verde.

“Eles se recusaram a veicular o anúncio inicialmente. Eu tenho que verificar e ver se eles ainda se recusam porque estão atrasados ​​ultimamente, e não tão dogmáticos”, disse Baron à RT.

No mundo offline, seu livro também encontrou obstáculos. Baron disse à RT que “todos os grandes editores” recusaram seu trabalho, com alguns até dando respostas “vulgares” .

“A maioria desses editores são o que chamamos de ‘acordados’, o que significa que eles subscrevem a nova narrativa, e uma das narrativas é que a polícia é ruim, o que é absurdo, claro, porque a civilização depende do estado de direito”, disse. ele disse.

Você tem que ter algum tipo de força policial se quiser ter civilização

O escritor também culpou o tratamento de seu livro aos ‘Wokes’ das Big Tech, acusando empresas de tecnologia americanas como Facebook e Reddit de aderirem “à narrativa oficial”, que condena a ‘masculinidade tóxica’.

Em suas entrevistas anteriores, Baron falou de seu livro como uma resposta aos motins do Black Lives Matter de 2020 e aos pedidos para desfinanciar a aplicação da lei. Os protestos contra a brutalidade policial em apoio à justiça racial ocorreram nos EUA, muitas vezes resultando em vandalismo, saques e tumultos. Eles também levaram as forças nas principais cidades a serem destituídas de poder e financiamento em meio a um aumento no crime.

“Downtown Manhattan, Los Angeles, San Francisco, Portland, Seattle , Minneapolis… resultou em um aumento no roubo e negócios “fugindo das cidades”.

“E não posso culpá-los” , concluiu. “Eu digo para que todos os cidadãos produtivos deixem a cidade.”

 

 

Fonte: RT

0 0 votos
Gostou do Post?
- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários