Após 1,4 mil demissões, dona de Tomb Raider ainda fará mais cortes

Muitos cortes têm sido feitos nas empresas de videogames nos últimos meses. O Embracer Group, por exemplo, segue no seu plano de “reestruturação”, estabelecido em junho do ano passado — e até agora já enxugou cerca de 8% de suas operações globais. Nesta quinta-feira (15), a empresa também confirmou que 483 funcionários foram demitidos durante o terceiro trimestre fiscal — encerrado em dezembro de 2023. Somados aos mais de 900 empregados desligados no trimestre anterior, o Embracer demitiu, ao todo, cerca de 1.387 pessoas até o momento.

Além das demissões em massa, a gigante sueca também cancelou 29 jogos não anunciados e fechou sete estúdios internos durante os seis meses encerrados em dezembro de 2023.

Embracer Group já enxugou cerca de 8% de suas operações globais.

O CEO do grupo, Lars Wingefors, confirmou no relatório financeiro desta quinta que o plano de reestruturação está entrando em sua “reta final”. “Como parte do programa de reestruturação, o Embracer ainda tem alguns processos em andamento, estruturados de desinvestimentos maiores que poderiam fortalecer nosso balanço e reduzir ainda mais os investimentos”.

“No entanto, a nossa principal intenção é sempre maximizar o valor para o acionista em qualquer situação. É pouco provável que alcancemos a meta do programa de reestruturação de menos de 8 bilhões de coroas suecas em dívidas líquidas até 31 de março de 2024. No entanto, certos desinvestimentos poderão reduzir significativamente a dívida líquida após o atual ano fiscal”, concluiu o executivo no relatório.

Embracer Group estabeleceu “plano de reestruturação” em junho do ano passado

Na ocasião em que o “plano de reestruturação” foi estabelecido, o Embracer Group fechou empresas como a Volition, desenvolvedora de Saints Row, e a Free Radical Design, do clássico TimeSplitters — enquanto outras foram colocadas à venda, como a Gearbox, de Borderlands.

Alguns jogos do catálogo do Embracer Group.

Além disso, o Embracer também fez demissões na Gearbox Publishing, na Crystal Dynamics, de Tomb Raider, na Aspyr Media, estúdio do remake de Knights of the Old Republic, na Beamdog, na Zen Studios, de Pinball FX, e na Eidos Montreal, de Deus Ex e Marvel’s Guardians of the Galaxy.

Vale lembrar que em maio de 2022 o grupo sueco havia anunciado a aquisição de três estúdios da Square Enix: Crystal Dynamics, Eidos-Montreal e Square Enix Montreal — responsáveis por franquias como Tomb Raider, Deus Ex e Legacy of Kain.

Aparentemente, uma das primeiras empreitadas dessa aquisição seria um jogo da franquia Deus Ex, que ficou dois anos sendo desenvolvido antes ser engavetado — segundo o jornalista e insider Jason Schreier. Na ocasião, quase 100 funcionários também foram demitidos do Embracer Group.


Fonte 

Deixe seu comentário