A ‘Lacração Woke’ Continua em Star Wars Disney: Novo Filme Star Wars Terá Diretora Feminista Woke em Meio a Polêmicas

As mudanças na direção de Star Wars também afetaram os resultados financeiros da Disney, com quedas no número de assinantes de streaming e ações em queda.

Resumo:

  • 💫 A franquia Star Wars passou por transformações sob a administração da Disney, incluindo críticas e controvérsias.
  • 🎢 A trajetória da franquia sob a Disney tem sido uma montanha-russa de emoções, com elogios e críticas.
  • 📽️ Diversos diretores foram envolvidos na direção de filmes e séries de Star Wars, alguns deles associados à abordagem “woke”.
  • 🧐 As escolhas de diretores e inclusão da “lacração woke” na franquia geraram polarização entre os fãs.
  • 💰 As mudanças na direção de Star Wars também afetaram os resultados financeiros da Disney, com quedas no número de assinantes de streaming e ações em queda.
  • 🚫 A inclusão da “lacração woke” e políticas de identidade nas produções recentes afastou alguns fãs e gerou insatisfação.

A franquia Star Wars, um marco do cinema, está passando por uma era de transformações desde que caiu nas mãos da Disney. Neste artigo, iremos explorar as recentes produções de Star Wars sob a “sábia” administração da Disney (Estou sendo irônico), enquanto mergulhamos nas críticas e controvérsias que envolvem a direção criativa e as escolhas de elenco.

A Nomeação da Feminista ‘Charmine Oy Chinoi’ e a Reação do Público: Uma Escolha para a História

A 'Lacração Woke' Continua em Star Wars Disney: Novo Filme Star Wars Terá Diretora Feminista Woke em Meio a Polêmicas 1

A escolha de Charmine Oy Chinoi como diretora de Star Wars foi um marco. Ela é aclamada como cineasta e ativista, e sua nomeação gerou reações preocupantes por parte dos fãs de Star Wars. Alguns celebraram sua escolha por sua representatividade, enquanto outros se perguntaram se ela já assistiu a um filme de Star Wars. Mas quem se importa com experiência quando você pode ter ativismo?

Quem precisa de diretores experientes para grandes produções não conhece a Charmine Oy Chinoi que dirigiu um único documentário feminista na vida e aparentemente agora vai dirigir o novo filme de Star Wars.

Aparentemente, a Disney decidiu que a experiência em dirigir grandes produções de ficção científica é superestimada. Por que contratar alguém com um histórico comprovado em filmes de sucesso quando você pode escolher alguém que é conhecido por seu ativismo? Afinal, dirigir Star Wars deve ser como andar de bicicleta, certo?

Os Comentários de Charmine Oy Chinoi e Implicações para Star Wars: “Gosto de Fazer os Homens se Sentirem Desconfortáveis”

Os comentários de Charmine Oy Chinoi sobre seu papel em Star Wars sugerem que ela está mais interessada em fazer os homens se sentirem desconfortáveis do que em contar uma boa história. É claro que a verdadeira essência de Star Wars, centrada na aventura e na fantasia, pode ser facilmente deixada de lado em prol de agendas pessoais.

Charmine Oy Chinoi afirmou: “Eu gosto de fazer os homens se sentirem desconfortáveis.” Bem, parece que temos uma diretora com as prioridades certas. Quem se importa com a diversão quando podemos ter desconforto? Afinal, não é para isso que o cinema existe?

E o melhor de tudo em uma franquia majoritariamente masculina é saber que a diretora escalada vai dar prioridade em dexa-los desconfortáveis. Achava que o intuito de ir ao cinema era justamente para prestigiar o filme e não sentir-se desconfortável, afastando os fãs do cinema. Mas a Disney deve saber o que faz, já que ela tem emplacados sucessos incalculáveis com ‘As Marvels’ e muitos outros sucessos como a série Ahsoka.

Relacionados:

A Trajetória de Star Wars Sob a Disney: Disneyficando uma Galáxia Distante

Desde que a Disney tomou as rédeas da franquia Star Wars, tem sido uma montanha-russa de emoções. A empresa foi elogiada por suas decisões brilhantes, como “O Mandaloriano” certo? Mas também enfrentou algumas críticas, como a demissão controversa de Gina Carano e a percepção de que as sequências não capturaram o espírito de Star Wars. Mas, ei, quem precisa da essência quando você pode ter mais CGI, não é mesmo?

Após a compra da Lucasfilm pela Disney, muitos fãs estavam empolgados com a ideia de novos filmes de Star Wars. Afinal, o estúdio havia feito um trabalho tão maravilhoso com suas adaptações live-action de animações clássicas, certo? Bem, essa empolgação inicial logo deu lugar a uma série de decepções. “O Mandaloriano” pode ter acertado, mas parece que foi uma exceção em meio a uma série de escolhas duvidosas pelo menos a primeira temporada, já que as seguintes são apenas uma agenda Woke disfarçada de entretenimento.

Lista dos diretores Wokes de Star Wars Orquestradas pela Kathleen Kennedy

J.J. Abrams: O Mestre da Reciclagem

JJ Abrams Admits The Rise of Skywalker Will Be WOKE - YouTube

Oh, J.J. Abrams, o mestre da reciclagem criativa. Com “O Despertar da Força” e “A Ascensão Skywalker”, Abrams provou que você pode vender o mesmo produto duas vezes, desde que o reembale com um laço de diversidade. A nostalgia foi transformada em muleta, com uma pitada de “woke-ness” para temperar, porque, claro, a diversidade é o tempero da vida – mas sem muita originalidade, não é mesmo?

Deborah Chow: A ‘Nova Esperança’ que Virou um Pesadelo

A 'Lacração Woke' Continua em Star Wars Disney: Novo Filme Star Wars Terá Diretora Feminista Woke em Meio a Polêmicas 2

Deborah Chow, em “Obi-Wan Kenobi”, mostrou como destruir personagens clássicos transformando Obi-Wan Kenobi em Obi-Wan da Depressão. Na série que leva o nome do protagonista Deborah Chow dar aos fãs tudo menos Obi-Wan e ainda faz questão de destruir o personagem. Enquanto ela habilmente manobrava através das areias do deserto de Tatooine, alguns perguntavam: estamos realmente avançando aqui, ou apenas olhando para trás com óculos “woke” coloridos?

Relacionados:

Jon Favreau: Diretor Woke… Até Quando?

Jon Favreau's Star Wars TV Series Set Before Force Awakens

Jon Favreau, inicialmente aclamado como o salvador de Star Wars com a primeira temporada de “The Mandalorian”, parecia ser a luz no fim do túnel para os fãs desencantados com a direção da franquia. No entanto, à medida que a série avançava, a esperança inicial morreu assim como Star Wars, transformando-se em desilusão. A segunda temporada, em particular, começou a mostrar sinais de ser menos uma obra de arte genuína e mais um clickbait disfarçado lacração woke. O que inicialmente parecia ser uma revitalização autêntica da saga se revelou como mais uma incursão na tendência “woke”, com a narrativa sendo progressivamente permeada por alegorias políticas e sociais que, para muitos, pareciam deslocadas no universo de Star Wars. Essa mudança gerou frustrações entre os fãs que valorizavam a série por sua aparente fidelidade ao espírito original da franquia, agora percebendo que até “The Mandalorian” não estava imune às influências do ativismo contemporâneo.

Relacionados:

Leslye Headland: A Feminista “Woke” de “The Acolyte”

Russian Doll' creator Leslye Headland on show's success and all-female writer's room - ABC News

Leslye Headland e sua série “The Acolyte” que será um thriller de mistério o que deixa os fãs intrigados com tanto misterio. Série prevista para 2024 e juntando o histórico podre dos diretores escalos pela Kathleen Kennedy juntamente com as últimas séries e filmes de star wars que floparam fica dificil de acreditar que teremos algo diferente e único ou mesmo sem a lacração woke. A questão não é apenas como ela vai se encaixar no cânone, mas como vai equilibrar a tradição com a sua visão única. Seu histórico sugere uma inclinação para o “woke”, mas será que isso vai fragmentar ainda mais a base de fãs? Só o tempo dirá.

Relacionado:

Justin Simien: Questões Sociais na Frente e no Centro

Star Wars' Series Lando Calrissian Shelved? Justin Simien Says He Hasn't Received Any Update From Lucasfilm, Adds "I've No Idea..."

Justin Simien, com a série “Lando“, parece pronto para embarcar em uma jornada galáctica com um toque de comentário social. A questão que paira é: Star Wars é o lugar para debates raciais e sociais? Em uma galáxia muito muito distante ainda não superamos o Racismo? Ou isso desviará a saga de sua essência, alienando os fãs que vieram pela aventura e ficaram pelo escapismo?

Kathleen Kennedy: A Arquiteta do Caos

Price of Reason on X: "The Force is Female wasn't a shoe promo. Kathleen Kennedy sat on the board for this event along with Disney Board Member/Nike CEO Mark Parker. This was

E, claro, a rainha da desordem, Kathleen Kennedy. Como ela mesmo gosta de dizer “A Força é Feminina” Sob sua vigilância, Star Wars tem sido uma montanha-russa de “lacração woke”, inconsistências e desventuras criativas. Ela é como uma chefe que não consegue decidir o menu, então serve um pouco de tudo e espera que os convidados não notem que o prato principal está queimado.

Em resumo, as críticas em relação à direção de Star Wars sob a liderança de Kathleen Kennedy se concentram na inclusão da lacração “woke” em tudo na franquia de Star Wars. A diversidade de estilos dos diretores escolhidos também desempenhou um papel na polarização da base de fãs.

Relacionados:

Essa lista compõe todos os filmes e séries até o momento sobre comando da Kathleen Kennedy.

Filmes:

  1. “Star Wars: O Despertar da Força” (2015) – Dirigido por J.J. Abrams.
  2. “Rogue One: Uma História Star Wars” (2016) – Dirigido por Gareth Edwards.
  3. “Star Wars: Os Últimos Jedi” (2017) – Dirigido por Rian Johnson.
  4. “Han Solo: Uma História Star Wars” (2018) – Originalmente dirigido por Phil Lord e Christopher Miller, mas posteriormente Ron Howard assumiu a direção após a saída dos diretores originais.
  5. “Star Wars: A Ascensão Skywalker” (2019) – Dirigido por J.J. Abrams.

Séries de TV:

  1. “The Mandalorian” (2019-presente) – Criada pelo ativista Jon Favreau e dirigido pela feminista Deborah Chow.
  2. “Obi-Wan Kenobi” (Em produção) – Criada por Deborah Chow.
  3. “Andor” (Em produção) – Criada por Tony Gilroy.
  4. “Ahsoka” (Em produção) – Criada por Dave Filoni.
  5. “The Book of Boba Fett” (Em produção) – Criada por Jon Favreau e Dave Filoni.
  6. “Rangers of the New Republic” (Em produção) – Criada por Jon Favreau e Dave Filoni.
  7. “Lando” (Em produção) – Criada por Justin Simien.
  8. “The Acolyte” (Em produção) – Criada por Leslye Headland.

A Polêmica em Torno da Inclusão da Lacração Woke e Política de Identidade: O Império da Virtude

A inclusão da lacração woke e a política de identidade nas produções recentes de Star Wars é um problema que vem afastando os fãs de star wars dos cinemas e também gerando prejuízos financeiros incalculáveis a Dinsey.

O impacto dessa mudança na franquia Star Wars não se limita apenas à percepção dos fãs, mas se estende também aos resultados financeiros da Disney. Há relatos de quedas significativas no número de assinantes em seus serviços de streaming, o que alguns analistas atribuem à insatisfação dos fãs com a direção atual de Star Wars e outras produções da Disney. Essa diminuição no engajamento e no interesse pode estar afetando diretamente a lucratividade da empresa no competitivo mercado de streaming.

Paralelamente, a Disney enfrentou turbulências no mercado de ações, com quedas notáveis que podem ser parcialmente atribuídas à performance menos favorável de suas produções recentes e ao declínio na base de assinantes de streaming. Essa situação é agravada por recentes escândalos corporativos, que têm prejudicado a imagem pública da empresa e, consequentemente, a confiança dos investidores.

Relacionados:

South Park: Entrando no Panderverso faz critica a abordagem lacradora Woke da Disney e a Kathleen Kennedy

Sim até o South Park fez críticas a abordagem exceção de lacração woke nas obras da disney. Para quem não assistiu o episodio especial do Panderverso satiriza todas as decisões controversas da Dinsey.

Neste episódio especial, que talvez mereça um Oscar por “Melhor Sátira em Animação”, os criadores de South Park pegam pesado com a Disney Woke.

Com seu humor ácido e sem papas na língua, South Park faz o que faz de melhor: expõe o ridículo da situação com uma precisão cirúrgica. É como se estivessem dizendo: “Oh, então vocês querem lacração?”. O episódio se torna um marco na cultura pop expondo as bizarrices que acontecem no mundo real da Disney.

Relacionados:

O Futuro de Star Wars e o Papel da Disney: Um Salto no Desconhecido

O futuro da franquia Star Wars sob a liderança da Disney é tão claro quanto as reviravoltas em um roteiro mal escrito. A empresa enfrenta o desafio de agradar aos fãs tradicionais enquanto abraça temas e direções novos e empolgantes. Quem sabe? Talvez eles nos surpreendam com mais ativismo e política de identidade. Afinal, ainda não tivemos o suficiente disso, certo?

Aparentemente, a Disney está disposta a arriscar tudo em nome da inovação. Quem se importa com a base de fãs que sustentou a franquia por décadas? Eles já tiveram sua dose de Star Wars clássico. Agora é hora de algo novo, algo que desafie todas as expectativas e talvez até mesmo afaste os fãs de longa data. Afinal, quem precisa de fãs quando você pode ter um novo público?

 

Fonte: UnicornioHater e algumas das postagens que abordam o tema já publicados no site.

Deixe seu comentário