5 arcos de Dragon Ball que são melhores no Mangá

Os fãs de Dragon Ball podem achar esses momentos mais satisfatórios na página do que na tela.

É verdade que a franquia Dragon Ball tem uma longa história tanto no mangá quanto no anime. Ambos os meios têm sido populares entre os fãs, e embora geralmente o anime siga o mangá, existem diferenças notáveis entre as duas versões. Essas diferenças podem surgir devido a várias razões, incluindo adaptações de história para preencher o tempo do episódio, liberdades criativas ou outros fatores.

Para alguns fãs, ler o mangá pode ser uma experiência mais autêntica, já que representa a visão original de Akira Toriyama com menos desvios em relação à história original. No entanto, o anime oferece a vantagem de apresentar as lutas e momentos emocionantes em movimento, o que pode ser uma experiência emocionante para os fãs.

No final das contas, a escolha entre assistir ao anime ou ler o mangá de Dragon Ball é uma questão de preferência pessoal. Alguns fãs podem optar por fazer ambos para obter uma visão completa da história. Independentemente da escolha, a franquia Dragon Ball continua sendo uma parte icônica da cultura pop e cativa fãs em todo o mundo.

 

05. Saga Pilaf

5 arcos de Dragon Ball que são melhores no Mangá 6

A primeira saga da franquia Dragon Ball, que trata da busca pelas Dragon Balls e o encontro com o Imperador Pilaf, de fato tem uma atmosfera diferente em comparação com o restante da série. Essa diferença pode ser atribuída à abordagem inicial de Akira Toriyama, que estava influenciado por seu trabalho anterior em “Dr. Slump”, conhecido por seu humor subversivo e sátira.

O humor na saga inicial de Dragon Ball possui um tom mais leve e muitas piadas autoconscientes, que funcionam de forma diferente na página do mangá do que na adaptação para o anime. Além disso, a localização e dublagem também podem afetar o humor e a entrega das piadas, e isso pode variar dependendo da versão assistida.

À medida que a série progride, especialmente nas sagas posteriores, a narrativa se torna mais focada em ação, batalhas e desenvolvimento de personagens, com menos ênfase no humor e na sátira. Essa mudança de tom é notável ao longo da série Dragon Ball e contribui para sua evolução ao longo do tempo.

 

04. Saga Ginyu

5 arcos de Dragon Ball que são melhores no Mangá 7

A Saga Ginyu de Dragon Ball Z teve um percurso complicado na sua adaptação para o público ocidental, principalmente devido a mudanças na equipe de dublagem e na produção. Inicialmente, a transmissão em inglês foi feita pelo Ocean Group, que dublou a série até o ponto em que Goku chega ao Planeta Namek e enfrenta a Força Ginyu. No entanto, a série ficou estagnada em reprises por um tempo antes de ser retomada pela Funimation.

A transição entre os diferentes estúdios e dubladores resultou em diferenças significativas na música, som e localização da série. Além disso, os novos dubladores da Funimation enfrentaram desafios ao tentar se ajustar aos personagens que já haviam sido dublados pelo Ocean Group. Isso levou a entregas de linhas afetadas e uma experiência de visualização menos fluida.

No mangá, essa transição suave não é um problema, e os fãs podem experimentar a história de forma mais consistente. A adaptação em mangá geralmente mantém a visão original de Akira Toriyama de maneira mais direta do que a adaptação para anime, o que pode contribuir para uma experiência mais coesa.

03. Grande Saga Saiyaman

5 arcos de Dragon Ball que são melhores no Mangá 8

A Saga do Grande Saiyaman em Dragon Ball Z é frequentemente criticada por alguns fãs devido à sua natureza cômica e à introdução do alter ego de Gohan como um super-herói. No anime, essa saga envolve Gohan frequentando o ensino médio e assumindo a persona do Grande Saiyaman para combater o crime na cidade. Sua atuação extravagante como super-herói inclui frases de efeito e danças, que deixam os criminosos perplexos e alguns fãs enojados.

No mangá, essa jornada é um pouco mais tolerável, em parte devido ao ritmo mais rápido da narrativa. Além disso, o formato do mangá se adapta melhor à sátira que Akira Toriyama está fazendo em relação aos super-heróis. O Grande Saiyaman é uma clara paródia dos tropos dos super-heróis, e esses elementos satíricos podem funcionar melhor na página, especialmente porque os super-heróis são uma parte fundamental dos quadrinhos, que compartilham semelhanças com o meio mangá.

Essencialmente, a Saga do Grande Saiyaman é uma crítica humorística aos super-heróis, e essa crítica pode ser mais eficazmente comunicada no formato do mangá, tornando-a mais adequada para os fãs que apreciam o lado satírico da história.

 

02. Saga Buu

5 arcos de Dragon Ball que são melhores no Mangá 9

A última grande saga (ou sagas) em Dragon Ball Z tem a ver com Majin Buu. Embora tenha muitos bons momentos, é sem dúvida o mais fraco em termos de narrativa . A narrativa aqui tem alguns sérios problemas de ritmo. Há longos períodos onde pouco acontece; os heróis estão se escondendo ou totalmente fora de ação. Essas falhas fazem com que toda a trama se arraste. É claro que Toriyama estava ficando sem ideias ao escrevê-lo.

Porém, o mangá é mais fácil de consumir. Não leva tanto tempo para passar. O filler está ausente e os fãs podem ler as batidas narrativas em vez de assisti-las. Como resultado, eles podem cobrir episódios inteiros com histórias em poucas páginas. Os períodos de inatividade ainda estão presentes, mas são significativamente mais curtos e mais suportáveis. Graças a isso, os leitores podem chegar às partes boas mais cedo.

01. Torneio do Poder

5 arcos de Dragon Ball que são melhores no Mangá 10

Todo mundo adora um bom arco de torneio , especialmente em Dragon Ball. É uma chance para vários personagens participarem de brigas consecutivas. No entanto, esses arcos não são apenas lutas estúpidas. O mangá entende isso. Aqui, o Torneio do Poder concentra-se mais na estratégia do que poderia. Isso se manifesta em muitos momentos memoráveis. Por exemplo, Goku aprende Ultra Instinct assistindo Mestre Roshi. O estilo simples e descontraído do Turtle Hermit sempre ecoou a essência da forma. Ele naturalmente se beneficiaria de seu conhecimento vitalício de artes marciais . Compare isso com o anime, onde Goku tropeça no poder ao absorver uma Bomba Espiritual. Esta escolha exemplifica a tendência do anime de recorrer a deus ex machinas . A história às vezes sacrifica a lógica para aumentar as apostas ou garantir que os heróis principais tenham uma boa aparência. Essa é outra área onde o mangá tem vantagem.

Toriyama proporciona mais momentos com seu elenco de apoio. Um destaque acontece quando Gohan e Freeza lutam contra os Saiyajins do Universo 6 . Além disso, em vez dos competidores normais, os Deuses da Destruição competem na exposição preliminar. Os personagens secundários ainda têm tempo para brilhar no anime, mas isso envolve principalmente grunhidos ou pequenas ameaças. Goku e Vegeta derrotam os pesos pesados ​​e ficam com toda a glória. Ambas as versões proporcionam diversão aos fãs, mas o mangá é, em última análise, mais satisfatório devido à maior variedade e melhor escrita.

 

Relacionados:

Fonte: Gamerant

Deixe seu comentário